Buscar

DRE: qual sua função na contabilidade das empresas?

Atualizado: Nov 12



Introdução

DRE é uma sigla muito utilizada no mundo contábil e está presente em quase todas as empresas brasileiras, não por acaso. Quer saber o motivo?

Nesse post, vamos te mostrar o que significa, sua importância, sua estrutura, sua obrigatoriedade e sua função nas empresas.

Afinal, o que é DRE?

A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) faz parte de uma série de relatórios contábeis, que tem como finalidade proporcionar informações acerca da posição patrimonial e financeira da empresa.

A Demonstração do Resultado do Exercício é um relatório contábil que apresenta os ganhos e gastos da empresa em um determinado período de tempo e, consequentemente, seu resultado, podendo ele ser lucro ou prejuízo.

Pode ser elaborada de forma mensal, bimestral, semestral ou anual, dependendo do período a ser avaliado e a frequência de análise da gestão. Pela lei, sua versão anual é obrigatória para todas as empresas, exceto MEI, mas todas podem se beneficiar com a emissão desse relatório.

Quem é obrigado a elaborar a DRE?

De acordo com a lei Nº 6.404/76 e a lei N° 11.638/07, todas as empresas brasileiras, exceto as MEI (Micro Empreendedor Individual), estão obrigadas a elaborar o relatório de forma anual, sempre após o encerramento do ano-calendário (período compreendido de janeiro a dezembro).

No entanto, existe uma diferença na frequência de apresentação, as empresas de capital aberto (aquelas listadas na bolsa de valores), por exemplo, precisam divulgar suas demonstrações financeiras trimestralmente ou semestralmente, a fim de manter os investidores informados sobre o desempenho da empresa e garantir transparência no mercado de ações.

No caso das empresas de capital aberto, que são obrigadas a elaborar a DRE, devem ainda publicar sua Demonstração do Resultado do Exercício no Diário Oficial da União.

O que deve constar na DRE?

A estrutura e ordem das informações que devem estar contidas na DRE, são definidas pela lei N° 11.638/07, publicada em 27 de dezembro de 2007. Sendo assim, deve ser elaborada de forma padrão, seguindo o Regime de Competência, de modo que as receitas e despesas sejam lançadas no período em que aconteceram e não somente quando são recebidas ou pagas.

Desse modo, a DRE de uma empresa deverá conter:

  1. A Receita Bruta das vendas e serviços, juntamente com as deduções das vendas, abatimentos e impostos sobre vendas;

  2. A Receita Líquida das vendas e serviços, evidenciando também o custo das mercadorias vendidas e o lucro bruto;

  3. As despesas com as vendas, financeiras, gerais, administrativas e outras receitas ou despesas;

  4. O resultado do exercício antes do imposto sobre a renda e a provisão para o imposto;

  5. O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.


Qual é a estrutura da DRE?


De maneira resumida, a Demonstração do Resultado do Exercício deve ser elaborada conforme a estrutura a seguir:


Receita Bruta

(-) Deduções e abatimentos

(=) Receita Líquida

(-) CPV (Custo de produtos vendidos) ou CMV (Custos de mercadorias vendidas)

(=) Lucro Bruto

(-) Despesas com Vendas

(-) Despesas Administrativas

(-) Despesas Financeiras

(=) Resultado Antes IRPJ CSLL

(-) Provisões IRPJ E CSLL

(=) Resultado Líquido do Exercício.


Segue abaixo um exemplo de um modelo de DRE:


Qual é a diferença entre a DRE e a DFC?


A DRE muitas vezes pode confundida com a Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC), ambos são documentos importantes para o gerenciamento e análise econômico-financeiro da entidade.


Enquanto que a DRE é realizada pelo regime de competência, ou seja, as receitas e despesas são lançadas no período em que aconteceram e não somente quando são recebidas ou pagas, a DFC é elaborada pelo regime de caixa, em que os registros são realizados somente quando há o pagamento/recebimento.


Ao passo que a DRE se trata de um relatório econômico, a DFC tem como finalidade acompanhar a situação financeira da empresa em determinado período, por meio da apresentação detalhada da movimentação de recursos naquele período. Assim, é possível identificar as entradas (recebimentos) e saídas (pagamentos) no período em questão, logo, é possível saber quanto a empresa possui em seu caixa.


Qual a função da DRE nas empresas?


A importância desse relatório vai além do cumprimento das exigências contábeis e governamentais. Evidentemente, por meio dessa demonstração, os fiscais do governo analisam se os impostos devidos pela empresa foram calculados corretamente e se há uma possível sonegação fiscal.


Assim, o relatório é utilizado pelo fisco para verificar se os impostos foram calculados corretamente, realizando o confronto do lucro declarado na DRE com os lucros declarados pelos sócios no IRPF.


Além disso, a DRE é útil não só para o fisco, mas para as tomadas de decisão pela administração, que, com base no relatório, pode extrair informações valiosas sobre a situação econômica da organização.

Vantagens da DRE!

Há vários benefícios estratégicos em elaborar a DRE, mesmo que ela não seja obrigatória para a sua empresa. Abaixo elencaremos algumas dessas vantagens:

  1. Auxilia na tomada de decisão, fornecendo informações que podem torna-la mais assertiva;

  2. Possibilita a identificação e a correção de falhas administrativas e financeiras, para alcançar os melhores resultados;

  3. Permite a visão da situação da organização, em que se pode identificar se a empresa está gerando lucro ou prejuízo;

  4. Transparência para a negociação de crédito, visto que se permite demonstrar aos bancos, investidores, credores os resultados da organização.

Conclusão


Com base nas informações apresentadas por nós, é possível perceber que é fortemente recomendável que sua empresa elabore a Demonstração de Resultado do Exercício, mesmo que esta não seja obrigatória. Por meio da DRE, é possível visualizar a saúde do seu negócio, além de auxiliar na tomada de decisões.


Além disso, por meio da DRE podemos identificar o momento certo de cortar possíveis gastos ou até mesmo identificar "sobras" de recursos, que podem ser investidas em benefício da organização.

Ainda é recomendada a contratação de um contador para a elaboração da DRE (e outros demonstrativos contábeis), minimizando possíveis erros de cálculo, para que a DRE possa refletir corretamente a realidade da sua empresa!


E aí, o que você achou do tema de hoje? Quer mais informações? Entre em contato conosco por meio da nossa página no Instagram ou pelo contato em nosso site!

__________

Texto escrito por Maria Eduarda Ferreira