Buscar

Demonstrações Contábeis: conheça as principais!



Introdução

É muito importante saber como está o desempenho e a performance econômico-financeira da sua empresa. Para este fim, existem as Demonstrações contábeis, que são relatórios de desempenho que medem a saúde do seu negócio. Além disso, as demonstrações são instrumentos de transparência e accountability para o seu negócio.

Quais são as demonstrações contábeis?


Existem diversas demonstrações contábeis, mas a Lei 6.404/1976 tornou algumas delas obrigatórias. Dentre as principais demonstrações estão: Balanço Patrimonial (BP), Demonstração do Resultado do Exercício (DRE), Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA), Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC), Demonstração de Valor Adicionado (DVA), Notas explicativas.

Balanço Patrimonial


O Balanço Patrimonial é o relatório de apresenta a situação do patrimônio da empresa, como o próprio nome sugere. Ele apresenta uma descrição organizada dos bens e direitos, das obrigações assumidas e do Patrimônio Líquido de uma entidade, em uma determinada data.

O patrimônio pode ser subdividido em Ativo (bens e direitos), Passivos (obrigações financeiras) e Patrimônio líquido (os recursos próprios da empresa). Acompanhe a estrutura do BP:

(+) ATIVO

(+) Circulante

(+) Realizável a Longo Prazo

(+) Permanente

(-) PASSIVO

(-) Circulante

(-) Exigível a Longo Prazo

(=) PATRIMÔNIO LÍQUIDO

(=) Capital Social

(=) Lucros acumulados

Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)


A Demonstração do Resultado do Exercício (DRE) é um relatório que mostra o confronto entre as receitas e despesas, em um determinado período, para se chegar ao lucro ou prejuízo da empresa.

Dentre os relatórios que esta demonstração contábil oferece, estão: Receita líquida, Margem bruta, Margem de contribuição, EBITDA, Resultado operacional, e Resultado Líquido. Acompanhe uma estrutura simples da DRE:

(+) Receita de vendas/ serviços

(-) impostos

(=) Receita líquida

(-) Custo Variável

(=) Margem bruta

(-) Despesas variáveis

(=) Margem de contribuição

(-) Despesas operacionais e gastos com pessoal

(=) EBITDA

(-) Depreciação, amortização e exaustão

(+/-) Outras receitas e despesas

(=) Resultado Operacional

(-) Tributos (IRPJ e CSLL)

(=) Resultado líquido

Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados (DLPA)


Com o objetivo de deixar mais transparente a quantidade de impostos, com base no lucro pagos pela empresa, a DLPA é normalmente a última demonstração feita, ao final do ano. Os dados deste relatório podem ser extraídos do Balanço Patrimonial e da Demonstração do Resultado.

Acompanhe a estrutura:

(+) Ajustes do exercício anterior;

(+) Reversões de reservas do lucro;

(+) Lucro líquido

(-) Prejuízo líquido;

(-) Transferência para reservas de lucros;

(-) Dividendos;

(-) Parcela do lucro ao capital;

(-) Dividendos antecipados

(=) SALDO

Demonstração de Fluxo de Caixa (DFC)


A Demonstração dos Fluxos de Caixa (DFC) apresenta as entrada e saídas de caixa ocorridas durante um período, separadas por tipo de atividades: as operacionais, de investimento e de financiamento.

Se trata de um demonstrativo muito importante para o controle financeiro: o relatório é todo o controle de entrada e saída monetária da empresa!

Demonstração do Valor Adicionado (DVA)


A Demonstração do Valor Adicionado (DVA) apresenta o valor acrescentado à organização e sua distribuição entre governo, colaboradores, terceiros e acionistas.

A finalidade desse demonstrativo é simples: evidenciar, para as partes interessadas, como a riqueza do empreendimento aumentou ou diminuiu ao longo do tempo. Acompanhe as contas da demonstração, enumeradas para facilitar o entendimento:

1. RECEITAS

1.1. Vendas de mercadoria, produtos e serviços

1.2. Provisão p/devedores duvidosos – Reversão/(Constituição)

1.3. Não operacionais

2. INSUMOS ADQUIRIDOS DE TERCEIROS (com ICMS e IPI)

2.1. Matérias-Primas consumidas

2.2. Custos das mercadorias e serviços vendidos

2.3. Materiais, energia, serviços de terceiros e outros

2.4. Perda/Recuperação de valores ativos

3. VALOR ADICIONADO BRUTO (1 + 2)

4. RETENÇÕES

4.1. Depreciação, amortização e exaustão

5. VALOR ADICIONADO LÍQUIDO PRODUZIDO (3 + 4)

6. VALOR ADICIONADO RECEBIDO EM TRANSFERÊNCIA

6.1. Resultado de equivalência patrimonial

6.2. Receitas financeiras

7. VALOR ADICIONADO TOTAL A DISTRIBUIR (5 + 6)

8. DISTRIBUIÇÃO DO VALOR ADICIONADO

8.1. Pessoal e encargos

8.2. Impostos, taxas e contribuições

8.3. Juros e aluguéis

8.4. Juros sem capital próprio e dividendos

8.5. Lucros retidos / prejuízo do exercício

Notas Explicativas


A lei 6.404/1976, em seu art. 176, determina que as demonstrações contábeis deverão ser acompanhadas de notas, para o melhor entendimento da situação patrimonial e dos resultados da empresa. Logo, as notas explicativas são obrigatórias!

A lei determina que as Notas Explicativas devem:

  • Apresentar informações sobre a base de preparação das demonstrações financeiras, além das práticas contábeis específicas selecionadas e aplicadas para negócios e eventos significativos;

  • Divulgar as informações exigidas pelas práticas contábeis adotadas no Brasil que não estejam apresentadas em nenhuma outra parte das demonstrações financeiras;

  • Fornecer informações adicionais não indicadas nas próprias demonstrações financeiras, mas consideradas necessárias para uma apresentação adequada.


Conclusão


É importante saber planejar o orçamento, priorizar resultados e ter uma visão com foco em desempenho. As demonstrações listadas acima são obrigatórias na lei sobre as Sociedades por Ações (SA). Porém, os relatórios são de grande ajuda na construção e manutenção de um negócio próspero, mesmo que não sejam obrigatórias para o seu tipo de empresa!


E aí, restou alguma dúvida sobre o tema? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos? Fale conosco por meio da nossa página do Instagram ou pelo nosso site!

_________

Texto escrito por Vinícius Castro