Buscar

7 dicas para reduzir a inadimplência na crise!

Atualizado: Set 10


A economia é cíclica, assim, é muito comum ter altos e baixos. Nos momentos de baixas na economia ocorrem recessões, como agora na crise econômica provocada pela pandemia da COVID-19. Quando isso ocorre, muitas pessoas são abaladas e ficam sem ter como pagar suas contas, acarretando em uma inadimplência.

Com a inadimplência dos clientes, as empresas reduzem o faturamento e correm o risco de também ficarem inadimplentes, até podendo chegar ao ponto de terem que pedir recuperação judicial ou decretar falência.


Por conta dessas situações, no artigo de hoje viemos falar sobre dicas de como reduzir a inadimplência em momentos de crise, de forma que facilite a gestão e a saúde financeira de sua empresa.


O que é inadimplência?


A inadimplência está ligada à falta de cumprimento de uma obrigação. Entre cliente e empresa, a falta de cumprimento é na forma financeira, quando o cliente deixa de pagar suas contas dentro do prazo de vencimento, por algum motivo.


Como é a inadimplência na crise?


Geralmente, em tempos de crise, a inadimplência costuma aumentar, porque muitas pessoas e empresas têm as receitas abaladas, ficam desempregadas, além de outras situações.


Na pandemia acarretou em muito desemprego e, com auxílios governamentais a inadimplência não aumentou tanto quanto poderia, mas a tendência é que continue crescendo nesse período. Por isso, é muito importante as empresas saberem como lidar.

Dicas de como prevenir a inadimplência:


1 - Conheça o seu cliente


Tenha noção de quem é seu público, para quem está vendendo e como é o seu perfil de consumo. Porém, o mais importante é fazer uma análise de crédito por meio do CPF ou CNPJ, pois assim você conhece melhor a capacidade de pagamento do seu comprador.


Essas análises podem ser feitas por meio do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), Serasa e outras associações que possuem enormes bancos de dados.


2 - Prefira pagamentos à vista ou no cartão


Com o pagamento à vista, não existe possibilidade do cliente ficar devendo, pois já foi pago no momento da compra.


Já no pagamento pelo cartão de crédito ou débito, ou você recebe no débito no momento da compra, ou recebe depois pela compra no crédito. Mesmo que o cliente não pague a conta do cartão de crédito, é quase 100% garantido o pagamento pelo banco.


3 - Feche negócios por contrato


Quando são grandes vendas ou de alto custo, é importante firmar um contrato. Porque, com um contrato bem definido, tem regras e multas possíveis pelo atraso, fica mais fácil de buscar judicialmente. Além disso, o devedor irá pensar melhor e acabar priorizando pagar a dívida com sua empresa, pois o prejuízo pode ser maior no caso de inadimplência.


4 - Mantenha o contato com o cliente


Ao conversar frequentemente com o cliente, você consegue ter um bom relacionamento com ele, além de entender suas dores e necessidades, criando um vínculo até maior.


Assim, é possível mostrar o valor e a importância da sua empresa. Dessa forma, o cliente pode passar a priorizar a dívida com sua empresa.


5 - Lembre o seu cliente


Por meio automatizado ou manual, é importante lembrar o cliente de sua conta a pagar quando estiver perto do vencimento. Além disso, é importante enviar faturas com antecedência junto aos lembretes de pagamento, para facilitar o trabalho do cliente e, assim, ele se organizar melhor.


6- Mantenha os bons pagadores


Os bons pagadores fazem parte do perfil ideal de cliente de qualquer empresa, por isso, é importante manter eles sempre por perto.


Isso pode ser feito, oferecendo benefícios como: criar programa de pontos com premiação para quem paga em dia, descontos para quem paga antes do vencimento, entre outros benefícios.


7 - Negocie com os clientes


Uma dica extremamente importante é estar aberta ao diálogo. Desse modo, colocando-se disposto a renegociar as dívidas dos clientes, propondo soluções para que a dívida seja quitada, além de demonstrar que a empresa é parceira do cliente.

Saiba conversar com o cliente, propor pagamentos parcelados ou descontos do montante total da dívida.



Conclusão


Com tudo que foi dito, é possível compreender que, nos momentos de crise, é normal uma baixa no faturamento e um maior índice de inadimplência. Porém, para minimizar a situação, é preciso ter uma expertise para lidar com o público e colocar as dicas em prática.


Quando as dicas são colocadas em prática, a empresa pode passar a receber em dia dos devedores, e também pode quitar as contas dos inadimplentes, para no fim manter um bom faturamento em situações adversas como a de crises econômicas.


Ainda ficou alguma dúvida? Entre em contato conosco pela nossa página do Instagram ou pelo nosso site.


Outro ponto importante para reduzir a inadimplência na crise é ter um bom controle do ciclo operacional financeiro, leia Ciclo Operacional Financeiro: aprenda como analisá-lo para saber mais.


__________


Texto escrito por Thiago Martins Amarante

23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo