Buscar

Ciclo Operacional Financeiro, aprenda como analisá-lo



Uma boa gestão financeira demanda um acompanhamento preciso de tudo o que acontece na empresa. Dessa maneira, a análise do ciclo financeiro é uma ótima ferramenta para o cumprimento dos prazos de pagamentos de dívidas, o controle no fluxo de caixa, o equilíbrio do capital de giro, dentre outros.


● O que é o ciclo operacional financeiro?


O Ciclo Financeiro é definido pelo período entre o pagamento da compra de matéria-prima até o momento de recebimento da receita. Tal ciclo também é chamado de Ciclo de Caixa por encontrar-se intimamente ligado ao caixa da empresa, medindo suas movimentações.


Ao descobrir o tamanho do seu ciclo financeiro, sabe-se quantos dias a empresa deverá financiar seu ciclo mediante outras formas de captação.


● Como chegar no seu valor?


Primeiro precisamos ter em mãos alguns prazos chaves:

PMC: em quanto tempo médio se espera receber as vendas realizadas;

PMF: prazo médio em que a empresa fabrica o produto;

PMV: prazo médio que o produto acabado permanece no estoques;

PME (Mp): é o prazo médio que a matéria-prima espera no estoque para ser consumida no processo de produção;

PMPF: tempo médio de pagamento de fornecedores;

PMDD: prazo de desconto de duplicatas.[3]


O ciclo financeiro é igual a PMC + PMV + PMF + PME - PMPF - PMDD


Não entendeu? Aqui vai um exemplo:


A empresa A tem os seguintes prazos médios: pagamento de fornecedores de 20 dias (PMPF), prazo médio de estocagem de matéria prima de 30 dias (PME), prazo médio de fabricação de 12 dias(PMF), prazo médio de venda de 18 dias (PMV) e um prazo médio de cobrança de 60 dias (PMC).



Assim, o ciclo financeiro será 30 + 12 + 18 + 60 = 120 dias.


● Como analisar?


A ideia é que, quanto menor o ciclo financeiro, melhor. Assim, para a análise é necessária a atenção a 3 pontos: o prazo de fornecedores, de estoque e de recebimento.


Quanto maior for o prazo dos fornecedores, mais dinheiro a empresa terá em caixa e menor será sua dependência de pagamento de juros.


Já excessivas quantidades de estoque provocam um alto prazo de estocagem, diminuindo o capital de giro, além de forçar a empresa a conceder descontos, impactando sua margem de lucro negativamente.


Por fim, a pressa de venda por parte dos empresários pode ocasionar o alargamento de prazos de recebimento. Nessa situação, deve ser levado em consideração o impacto no capital de giro da empresa, pois pode levar ao esgotamento de caixa.


Resumindo:



Vale lembrar que um ciclo financeiro ideal varia de empresa para empresa. Se o seu negócio gira em torno da prestação de serviços, por exemplo, o seu prazo médio de estoques é insignificante ao se comparar com uma empresa de varejo.


E o ciclo financeiro negativo?

É desejável, pois refletiria sua capacidade de produzir, vender e receber antes dos pagamentos comprometidos com os fornecedores, porém tal situação é extremamente difícil de se encontrar na prática.


● Conclusão


Por fim, a ideia é que, ao descobrir o tamanho do seu ciclo financeiro, se possa traçar estratégias a fim de diminuir a dependência da sua empresa frente ao capital de terceiros.

Ressaltamos que não há nenhum problema em ter um ciclo financeiro positivo, o verdadeiro problema é o desconhecimento desse indicador somado ao descontrole dos prazos médios.

Ainda ficou alguma dúvida? Entre em contato conosco pelo nosso instagram ou por e-mail.


Leia também: Relatórios Gerenciais: como utilizá-los na tomada de decisão!


31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo