Buscar

Gestão Financeira: 4 erros nesta área!



Diversos fatores podem influenciar seriamente o bom funcionamento da empresa, como a falta de capital de giro, descontrole no fluxo de caixa, dívidas com bancos, impostos atrasados, além de diversos outros problemas.


Uma das consequências de uma má gestão financeira é não conseguir honrar as dívidas e acabar ficando no vermelho. Veja a seguir 4 erros comuns na gestão financeira!


4 erros numa gestão financeira


1. Não ficar de olho no desempenho da empresa


Se o empresário não acompanhar de perto o desempenho da sua empresa, ele não conseguirá entender os processos do seu próprio negócio e, portanto, perderá o controle do que está acontecendo.


Uma boa gestão financeira leva em conta um acompanhamento preciso de tudo que acontece no empreendimento. Vale destacar que não se trata somente de levar em conta as despesas e as receitas, é preciso focar nos custos, investimentos, tributos, entre outros fatores.


2. Não fazer o fluxo de caixa


Manter o fluxo de caixa sob observação e controle é fundamental para o controle financeiro. Não basta apenas conferir o extrato do banco ou atualizar planilhas com gastos e lucros que já ocorreram, o fluxo de caixa atua como uma importante métrica que ajuda o empreendedor a planejar o futuro.


O fluxo de caixa pode fornecer informações estratégicas como clientes mais assíduos, por exemplo. Essa ferramenta é importante para o acompanhamento efetivo da rotina financeira empresarial.

3. Não controlar os prazos de vencimento


É fundamental acompanhar os gastos da empresa, para isso, faça um registro eficiente do que se gasta e de quando tudo precisa ser pago. Quando ele deixa de honrar com as dívidas, são aplicadas multas, taxas e juros ao valor devido.


Não deixar as despesas e juros virarem uma bola de neve é um exercício fundamental para a sobrevivência do negócio. Portanto, fique atento e mantenha o controle de tudo que se gasta e quando deve ser pago.

4. Misturar contas pessoais com as contas empresariais


Este erro é muito comum e responsável pela falência de diversas empresas no país. Misturar o orçamento pessoal com o da empresa pode onerar a empresa, portanto, valores que serviriam para fazer investimentos ou para pagar as dívidas do CNPJ acabam sendo usados pelo proprietário.


Quando o empreendedor retira valores do caixa para pagar dívidas pessoais prejudica o capital de giro. Caso a empresa necessite de dinheiro para suprir as necessidades do ciclo operacional, terá que recorrer a empréstimos.


Conclusão


Fique atento, acompanhe de perto tudo que acontece no seu negócio. Além disso, não deixe que processos de acompanhamento simples virem uma bola de neve e acabe por fazer você fechar as portas!


E aí, o que você achou do tema de hoje? Quer mais informações? Entre em contato conosco por meio da nossa página no Instagram ou pelo contato em nosso site!


__________


Texto escrito por Vinícius Castro

43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo